Livro – Depois Daquela Ponte

Até onde você iria para encontrar as respostas que procura?

DEPOIS DAQUELA PONTE irá te fazer questionar sobre a percepção do real e o impossível.
Afinal de contas a realidade pode ser mais surpreendente do que possamos imaginar.

Compre já

Pode ficar tranquilo, suas compras estão seguras através do PagSeguro.

Ao clicar para RECEBER EM CASA o seu livro será entregue pelos Correios e ao clicar para RETIRAR NO LOCAL você poderá retirar pessoalmente em um dos seguintes locais:

EM PIRAQUARA
Na Sorveteria da Evinha
Avenida das Palmeiras, 402 – Jardim Santa Mônica – Ver no mapa

EM PINHAIS
Na CPN Informática
Rua Vinte e Cinco de Agosto, 692 – Centro – Ver no mapa

QUE TAL LER uma prévia
ANTES DE COMPRAR?

Depois Daquela Ponte – Capítulo 1

photomania-4eabbba8d9ddf8242e97ba8f01fa4528

Pequenos estalos ainda emanavam da lâmpada da sala.

Minúsculos raios também podiam ser avistados circundando a luminária que estava acesa, mesmo estando claro lá fora, embora o sol não tivesse aparecido naquela fria tarde de julho. Entre a fina garoa, que insistia em cair desde os últimos dias, soprava forte um vento cortante, balançando as araucárias ao longe, bem como o grande ipê-da-serra ao lado casa fazendo roçar seus galhos sob o telhado. Esse mesmo vento também fazia debater a ventarola das janelas da velha casa, permitindo que adentrasse por entre os cômodos aquela fria sensação de inverno.

Continue lendo “Depois Daquela Ponte – Capítulo 1”

A Soma de Todos os Medos

foggy-545838_1280

Após uma semana de tanta tensão, mais uma dentre outras tantas que tive nos últimos dois anos, com discussões e enfrentamentos desnecessários, palavras ríspidas ditas em um tom quase ameaçador, era de se esperar que o desfecho de minha jornada naquela corporação estivesse próximo.

Continue lendo “A Soma de Todos os Medos”

Seis e Quinze

fog-1819147_640

Seis e quinze. É o que marca a fraca luz do rádio relógio.

Quanta chuva cai lá fora. Quando a chuva é forte assim logo passa, era o que meu pai sempre dizia, embora eu discordasse de muitas coisas que ele dizia, nisso eu concordava.

Aquela reunião tinha mesmo que ser hoje de manhã? Logo na segunda-feira às dez horas? Quem é que consegue ter um raciocínio lógico antes do meio-dia? A única coisa que vem em meu pensamento antes do meio-dia é: “bem que eu poderia estar dormindo”.

Continue lendo “Seis e Quinze”